Páginas

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Sobre Teotônio Sobrinho (( Professor de Teatro))


















Teotônio Sobrinho, é (ou era) o atual professor de Teatro, das oficinas de artes da secretária de cultura de Jandira, e sairia do cargo no começo deste ano, após o espetáculo "A Paixão de Cristo", mas por algum motivos, houveram pequenas mudanças, e este foi recontratado, após o término do espetáculo, que foi realizado, no dia 02 de abril de 2010.
Porém ele na esperança de sua reefetivação no cargo de professor trabalhou durante todo o mês de abril sem receber nada, e não a previsão de quando este mês de trabalho será dado.
Por mais que se ame a sua profissão, trabalhar de graça é uma coisa terrível a qualquer ser humano, e também chega a ser uma falta de respeito com um profissional do nível de Teotônio Sobrinho trabalhar de graça, pois ele é graduado em Artes Cênicas pela USP, com uma pesquisa de mestrado sobre teatro de imagem também pela USP, e com Doutorado, na área de dramaturgia também pela USP, que é a melhor universidade de artes cênicas do país, e não existe
existe na cidade de Jandira profissional mais bem qualificado a dar aulas de teatro do que ele, pois não há na cidade além dele, nenhum outro doutor em artes cênicas, e aliás são muito poucos os doutores em artes cênicas em toda a região Oeste da grande São Paulo. Além de ter essa ótima formação, ele também é um professor concursado, e nos ultímos quatros anos, exercia o cargo de secretário da cultura na cidade, trazendo professores com as melhores formações, muitos formados pela USP.
Em seus trabalhos, Teotônio faz uma pesquisa muito avançada em teatro de imagem, o que acresenta muito ao nivel de cultura da cidade.
Escrevo em nome de todos os seus alunos, para que ele possa voltar a dar aulas,e para que possamos avançar com os nossos trabalhos.( pois ainda não se sabe quando será efetuada esta reefetivação, e é impossível trabalhar sem receber, e não a nada mais justo que ele se ausente das aulas enquanto a reefetivação não for feita)
Peço a todos os artistas da região o Oeste da grande São Paulo, que puderem que divulgem esta postagem.
Desde já agradeço - os
São anexadas algumas fotos do ultimo trabalho desenvolvido por ele na cidade. "Oblta"

terça-feira, 23 de março de 2010

" Te amo, mais porque você?
Você que é tão parecido e ao mesmo tempo tão diferente.,
Você que é meu melhor amigo,
e ao mesmo tempo meu sonho e consumo.
O por que de ser você, eu não sei.
Mais sei que só podia ser você!!"
(( Ingrid Cernauski )) ®

Crepusculo

O crepusculo da manhã vem me acordar
relembrando um beijo seu
Sinto assim meus olhos de lágrimas inundar,
por não ter você ao lado meu.

Relembro num subto susto teu cheiro
que a brisa da manhã faz chegar ate mim
Assim contigo tambem acontece, eu creio
a brisa da manhã te faz pensar em mim.

Será sempre assim, uma lembrança
Um amondo o outro
Sem poder se tocar ou se aproximar .... Eternamente.

O que fica é a lembrança que a brisa traz
e os lamentos que a manhã e seu crespusculo faz acordar.
Seguindo sempre, sem querer olhar pra traz.

(( Ingrid Cernauski ))

Frenesi

Dor que me arrebata por dentro
causando prejuizos incauculaveis ao coração.

Sinto teu cheiro...
Vejo você em todos os lugares que olho

Estou a inumar minha alma
num sepulcro profundo
sem fim,
de fundo longincuo ao alcance dos olhos.

A razão não condiz a emoção
A mente implora para que eu te esqueça,
o coração renega esta hipotese...
no suplicio sem fim
da esperança incoerente
de um amor que parece
ter desaparecido no tempo.

Me nego acreditar que chegou o fim.
Não quero acreditar que te perdi
Não consigo desistir...

(( Ingrid Cernauski ))

Dark Love


Meu coração esta frio
tenebroso;

Poque acreditar em contos de fadas
Porque acreditar em principe encantado
Tudo isso não passa de de fantasia,
uma triste e dolorosa fantasia,
que consome os olhos inocentes das crianças.
Qauis estas, creem que possa existir o amor.
Depois que crescem,
de súbto se iludem,
e morrem de espirio.

Sim; pois o amor
é o verdadeiro assassino de todos os refens da ilusão.

(( Ingrid Cernauski ))

quinta-feira, 11 de março de 2010

Soneto de Morte

Em seu leito respirando à luz sombria
Na sua mente uma vida inteira
Entre a lua e o solo, só lembrança passageira
Sobre um tumulo gélido ela dormia

Bela, aqui de pele fria
por esta dor de diferença
seu coração sem esperança
não mais palpita

Sobre ela uma velha paineira desfolhava
por ser escuma da sociedade
ela chorava

A vida de teus olhos jaz vazia
O mundo inteiro por arrependimento se mutila
Da menina palida de negro, ninguém mais ria.

(( Ingrid Cernauski))

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Filosofia Gótica

Creio ter reunido evidências suficientes para concluir que os góticos (tanto os clássicos quanto os neogóticos) constituem a tribo mais culta de todo o universo underground. Há amplas evidências a favor disso (ainda que alguns góticos clássicos como eu não sejam “do underground” em concepção).

As produções literárias, artísticas e cinematográficas acumuladas por muitas décadas e que configuram expressões do goticismo são em número imensamente superiores a qualquer outro agrupamento difuso (perdendo para organizações mais antigas como a Maçonaria e semelhantes, que tiveram coesão grupal e mais tempo para influenciar culturas).

Eu vejo o goticismo como um dos grandes celeiros da pós-modernidade. Se o interesse coletivo dos góticos fosse unificado em um objetivo comum, e devido às características que configuram o goticismo, se teria força para engendrar perspectivas críticas que poderiam ser muito úteis para a sociedade. Num mundo onde a violência parece transbordar todos os limites, a noção do pensamento e atitude pacífica dos góticos ressalta seu papel até mesmo social, como exemplo de possibilidade de tribos urbanas que podem viver em paz. Aliás, eu vejo o goticismo como uma expressão viva da liberdade de pensamento e do respeito à individualidade.

Enfim, onde se parece haver um contraste tão grande entre o racional e o emocional, e onde fala-se tanto sobre a escolha entre ser um ou outro, o goticismo traz uma mensagem de que é possível o conhecimento científico e a erudição sem a perda do encanto, da poesia e do romantismo. E de que, numa analogia bem específica mas que deve ser estendida a todas as outras esferas, tão importante quanto “aprender a técnica de pintar” seria aprender a ter prazer com a pintura. Mesmo como está, o mundo e a vida ainda têm belezas suficientes para encantar os espíritos sensíveis. Eu acredito que essa pode ser a nossa grande mensagem, tanto dos góticos tradicionais quanto dos surrealistas.